Vizinho diz que suspeito alugou terreno no ano em que Madeleine desapareceu

A polícia procura por Madeleine há 13 anos (Foto: PA Media)

O principal suspeito no caso Madeleine McCann alugou o terreno que está sendo revistado pela polícia na Alemanha, alega um homem que é dono de um terreno vizinho. Ele afirma que o suspeito Christian B chegou lá no ano em que a menina inglesa desapareceu.

Promotores alemães disseram que a busca no local, perto de Hannover, está relacionada à investigação de Christian B, um predador sexual atualmente preso na Alemanha.

Os trabalhos começaram no local na segunda-feira (27 de julho) e devem continuar até esta quarta-feira.

Madeleine tinha três anos quando desapareceu enquanto estava de férias com a família em Portugal, há 13 anos. Ela estava um apartamento na Praia da Luz, no Algarve,na noite de 3 de maio de 2007, enquanto seus pais estavam com amigos em um bar de tapas nas proximidades.

Uma enorme caçada policial por grande parte da Europa teve início logo em seguida.

Polícia coleta evidências em terreno em Hanover, na Alemanha
Segundo o vizinho do terreno investigado, Christian B alugou a propriedade por alguns meses no ano em que Madeleine desapareceu.

 

O homem disse que o suspeito chegou na primavera ou no verão de 2007 e teria dito que tinha a intenção de fazer o isolamento térmico de uma pequena cabana, que ficava sobre uma base de concreto e tinha um pequeno porão embaixo.

O vizinho saiu de férias em julho de 2007. Quando voltou, em agosto, a estrutura havia sido removida e ele nunca mais viu o suspeito.

Christian B foi apontado como suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann
Christian B (foto) foi revelado como o principal suspeito do caso Madeleine McCann em junho, quando as polícias da Alemanha e do Reino Unido fizeram um novo pedido de ajuda por informações sobre dois veículos que pertenciam ao alemão.

Acredita-se que o homem de 43 anos tenha estado na área em que Madeleine foi vista pela última vez em férias no Algarve, sul de Portugal.

Segundo a polícia, ele morou regularmente no Algarve entre 1995 e 2007 e chegou a trabalhar na região, inclusive em restaurantes, mas também cometeu furtos em hotéis e usou drogas.

Anteriormente, os promotores alemães haviam dito que tinham evidências que levam a acreditar que Christian B matou Madeleine, mas não são fortes o suficiente para levá-lo ao tribunal.

No mês passado, a polícia de Londres afirmou que o caso continuava como uma investigação de “pessoas desaparecidas” no Reino Unido, porque não havia “evidências definitivas” sobre se Madeleine estava viva ou não.

No entanto, investigadores alemães disseram acreditar que Madeleine está morta.

Após o último apelo policial, os pais de Madeleine, Kate e Gerry McCann, disseram: “Nunca desistiremos de encontrar Madeleine viva, mas seja qual for o resultado, precisamos saber (o que aconteceu) uma vez que precisamos encontrar a paz”.

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.