Trump quer ampliar tempo das restrições impostas nas fronteiras

WASHINGTON – O governo Trump planeja estender as restrições de fronteira dos Estados Unidso  relacionadas ao coronavírus por tempo indeterminado, de acordo com um relatório do New York Times. Ou seja, muitas das medidas severas tomadas durante a pandemia e que impediram a entrada no país devem ser mantidas.

O presidente Donald Trump foi acusado de usar a pandemia do Covid-19 para reforçar ainda mais as restrições de vistos e imigração dos EUA e agora planeja estender o bloqueio de migrantes até que um funcionário da saúde declare que a doença não é mais uma ameaça.

Além disso, a ideia é resgatar os empregos de mais de 30 milhões de americanos que ficaram sem trabalho.

Os migrantes que buscam proteção contra perseguição podem ficar presos nas fronteiras dos EUA se as restrições forem estendidas por tempo indeterminado. Entendeu-se que uma versão preliminar de uma ordem de saúde pública descreve planos para restringir a entrada nos EUA em um futuro próximo.

Em 21 de março, uma restrição de 30 dias a todas as viagens não essenciais para os EUA do Canadá e do México foi imposta pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), com todos os pontos legais de entrada fechados para turistas e, além disso, qualquer pessoa apanhada entrando nos EUA ilegalmente teve de retornar imediatamente através da fronteira de volta ao México ou a seus países de origem.

Desde que a restrição de 30 dias foi introduzida, apenas dois migrantes foram autorizados a permanecer nos EUA e reivindicar asilo, de acordo com um funcionário dos Serviços de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS).

A restrição inicial de 30 dias imposta pelo CDC foi prorrogada por mais 30 dias em 20 de abril, uma medida orquestrada pelo arquiteto da agenda de imigração do presidente Trump nos EUA, Stephen Miller. Indiscutivelmente o principal assessor de Trump, Miller usou agressivamente as leis de saúde pública para limitar a imigração enquanto os EUA lutam contra o coronavírus.

É dele também as ideias de restrições a vistos de trabalho e estudantes, conforme noticiado anteriormente no Boletim MANCHETE USA.

Atualmente, o novo pedido está sendo analisado por várias agências do governo dos EUA. Sob a ordem, se emitida pelo diretor do CDC Dr. Robert R. Redfield, as restrições nas fronteiras dos EUA permanecerão em vigor até que seja determinado que o vírus não representa mais um risco.

No entanto, alguns defensores dos imigrantes criticaram a hipocrisia dos planos de estender as restrições nas fronteiras, referindo-se aos repetidos apelos de Trump para que os estados reabram suas economias, argumentando que a ameaça do coronavírus desaparecerá rapidamente.

Um trecho do rascunho da ordem, visto pelo The New York Times, diz: “Estou estendendo a duração da ordem até determinar que o perigo de uma maior introdução do Covid-19 nos Estados Unidos deixou de ser um perigo para o saúde pública.”

Embora o CDC seja obrigado por lei a revisar os riscos apresentados pelo vírus a cada 30 dias, a nova ordem implica que as fronteiras permanecerão fechadas para os imigrantes até que Redfield decida o contrário.

Repressão à imigração

O governo de Trump adotou implacavelmente restrições à imigração sob o pretexto de proteger a saúde pública em meio ao coronavírus. Os voos de refugiados, as cerimônias de naturalização dos EUA e a aprovação de milhares de green cards para quem está fora dos EUA já foram bloqueados.

No entanto, o presidente recentemente permitiu que vistos de trabalho temporário fossem emitidos para trabalhadores sazonais e aqueles considerados trabalhadores rurais e de frigoríficos, muitos dos quais são imigrantes e considerados trabalhadores essenciais nos Estados Unidos em meio à pandemia.

Trump também permitiu um período de carência de 60 dias para aqueles em processo de solicitação de visto de trabalho e green cards nos EUA, antes que o coronavírus chegasse aos EUA, para enviar os documentos solicitados como parte de seu pedido.

Não há data para prorrogação indefinida das restrições nas fronteiras

Nenhuma data foi dada para a extensão das restrições nas fronteiras, mas o Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) insiste que é necessária uma extensão para reduzir o risco de a doença se espalhar nos centros de detenção de imigrantes dos EUA ao longo da fronteira. As restrições atuais estão definidas para expirar em 21 de maio.

Até agora, a Casa Branca não fez comentários sobre os planos de estender as restrições às fronteiras indefinidamente.

Enquanto isso, de acordo com o relatório do New York Times, o diretor do CDC, Dr. Redfield, não deu nenhuma explicação sobre os critérios que ele usou para estender as restrições de fronteira, mas entende-se que o mesmo critério foi usado para recusar a entrada de crianças que atravessam a fronteira, em vez de encaminhá-los para um abrigo administrado pelo Gabinete de Reassentamento de Refugiados.

Os defensores dos imigrantes expressaram profundas preocupações sobre a indefinição dos planos, acusando Miller e Trump de usar a pandemia de coronavírus para impor restrições de visto e imigração que há muito tempo procuram tornar permanente.

Nos últimos três anos, o governo Trump já estabeleceu várias restrições de visto e imigração nos EUA, com Miller e o governo Trump usando leis de saúde pública, mesmo antes do ataque do coronavírus, para reduzir ainda mais a imigração.

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar o Boletim Manchete USA e receba mais conteúdos.