Possível sinal de vida alienígena é detectado em Vênus

ATACAMA – Cientistas anunciaram nesta segunda-feira que detectaram nas nuvens extremamente ácidas de Vênus um gás chamado fosfina que indica que micróbios podem ter habitado o vizinho inóspito da Terra, em um sinal estimulante de possível vida fora de nosso planeta.

Os pesquisadores não descobriram formas de vida propriamente ditas, mas observaram que, na Terra, a fosfina é produzida por bactérias que germinam em ambientes pobres de oxigênio. A equipe científica internacional captou a fosfina primeiramente usando o Telescópio James Clerk Maxwell do Havaí e o confirmaram graças ao radiotelescópio de milímetro/submilímetro de gama ampla do Atacama, no Chile.

“Fiquei muito surpresa — espantada, na verdade”, disse a astrônoma Jane Greaves, da Universidade de Cardiff, no País de Gales, a principal autora da pesquisa publicada no periódico científico Nature Astronomy.

A existência de vida extraterrestre é uma das maiores interrogações da ciência há muito tempo. Cientistas já usaram sondas e telescópios em busca de “bioassinaturas” –sinais indiretos de vida– em outros planetas e luas do nosso sistema solar e além.

“Com o que sabemos atualmente sobre Vênus, a explicação mais plausível para a fosfina, por mais fantástico que possa parecer, é a vida”, disse Clara Sousa-Silva, astrofísica molecular do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e coautora do estudo.

“Eu deveria enfatizar que a vida, como explicação para nossa descoberta, deveria ser, como sempre, a última opção”, acrescentou Sousa-Silva. “Isto é importante porque, se for fosfina, e se for vida, significa que não estamos sozinhos. Também significa que a vida em si deve ser muito comum, e que deve haver muitos planetas habitados por toda a galáxia”.

A fosfina –um átomo de fósforo com três átomos de hidrogênio presos a ele– é altamente tóxica para seres humanos.

Telescópios terrestres, como aqueles usados nesta pesquisa, ajudam os cientistas a estudar a química e outras características de objetos celestiais.

A fosfina foi vista em 20 partes por bilhão na atmosfera venusiana, uma concentração residual. Greaves disse que os pesquisadores examinaram possíveis fontes não-biológicas, como vulcanismo, meteoritos, raios e vários tipos de reações químicas, mas que nenhuma pareceu viável. A pesquisa continua, seja para confirmar a presença de vida ou encontrar uma explicação alternativa.

Vênus é o vizinho planetário mais próximo da Terra e está envolto em uma atmosfera espessa e tóxica que retém calor. Alguns cientistas suspeitam que suas nuvens altas podem abrigar micróbios aéreos capazes de suportar uma acidez extrema em que os micróbios terrestre não sobreviveriam.

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.