Papa pede acolhimento digno para migrantes de campo em Lesbos

Crianças refugiadas em um acampamento na ilha grega de Lesbos (Foto: Reuters)

LESBOS – O papa Francisco expressou sua proximidade e solidariedade aos refugiados do campo de Moria, na ilha grega de Lesbos, devastada por um incêndio e pediu uma acolhida digna e humana aos mais de 12 mil migrantes que ficaram sem abrigo.

“Nos últimos dias, vários incêndios destruíram o campo de Moria na ilha de Lesbos, deixando milhares de pessoas refugiadas, sem nem mesmo abrigo”, disse Francisco após a oração do Ângelus.

O líder religioso lembrou da visita que realizou ao campo de refugiados de Lesbos em 2016, junto com o patriarca Ortodoxo Bartolomeu. Na ocasião, ele já havia pedido “um acolhimento digno e humano para os refugiados e aqueles que procuram asilo na Europa”.

“Expresso minha solidariedade e proximidade a todas as pessoas neste incêndio dramático”, acrescentou.

Durante a celebração, Jorge Bergoglio também fez referência aos protestos que estão tomando às ruas em várias partes do mundo e fez um apelo para todos os manifestantes agirem de forma pacífica, “sem ceder à agressividade e à violência”.

O Pontífice ainda ressaltou a importância do “respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades”, enfatizando a necessidade dos governos ouvirem “a voz de seus cidadãos e suas justas aspirações”.

“Mesmo nas últimas semanas estamos testemunhando em todo o mundo inúmeras manifestações populares de protesto que expressam o crescente mal estar da sociedade civil em face de situações políticas e sociais particularmente críticas”, lembrou.

“Apelo a todos aqueles que têm responsabilidades públicas e governamentais para que ouçam a voz de seus concidadãos”, finalizou.

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.