NY mira edifícios de luxo para amenizar problema dos sem-teto

(Foto: Istock)

NOVA YORK – A busca por abrigo para a crescente população sem-teto na cidade de Nova York colocou prédios de aluguel de luxo na mira de autoridades.

Incorporadoras que recebem incentivos fiscais para construir torres com salas de ioga e mesas de bilhar, em troca de alugar algumas unidades com preços mais acessíveis, agora serão obrigadas a ocupar esses apartamentos com residentes de abrigos, caso não encontrem inquilinos, por meio de uma loteria de moradias acessíveis.

A regra se aplica a cerca de 200 unidades que estavam desocupadas até sexta-feira, de acordo com o Departamento de Preservação e Desenvolvimento de Moradias da cidade. “Este governo está identificando maneiras novas e criativas” de diminuir a população sem-teto, disse Matthew Creegan, porta-voz do departamento. “Vimos uma oportunidade de oferecer moradia permanente de alta qualidade a alguns de nossos sem-teto e estamos aproveitando isso.”

O alojamento em alguns edifícios pode começar já nesta semana. As unidades serão limitadas a famílias em abrigos que podem viver de forma independente e não aos sem-teto que precisam de serviços ou apoio social extra, disse Creegan. Os aluguéis à incorporadora serão pagos pela cidade.

As regras afetarão principalmente edifícios onde as unidades acessíveis são designadas para inquilinos de classe média: de pessoas solteiras que ganham até US$ 97.110 por ano a famílias de três membros com renda combinada anual de US$ 124.930, de acordo com as diretrizes da cidade.

A medida inclui o The Dime, uma torre no bairro Williamsburg, no Brooklyn, com quadra de basquete e bar. Existem 19 estúdios no edifício que serão alugados por US$ 2.116 ao mês e 24 apartamentos de um quarto por US$ 2.270, de acordo com o anúncio da loteria.

No Essex Crossing, no Lower East Side, em Manhattan, unidades de um quarto estão disponíveis por US$ 1.912 e US $ 2.717, dependendo da renda do candidato. Loterias para inquilinos estão em andamento nos dois prédios.

Aluguéis acessíveis para residentes de classe média estão apenas um pouco abaixo da taxa de mercado, tornando-os uma opção atraente para incorporadoras que optam pelo programa de isenção de impostos, disse JordanBardach, diretor de operações da City5, consultoria que presta serviços para incorporadoras interessadas nos incentivos.

Mas possíveis inquilinos muitas vezes não sabem que se qualificam e, quando sabem, podem não querer esperar um processo demorado de loteria e verificação de renda para apartamentos que oferecem apenas um pequeno desconto. Às vezes, isso deixa unidades vazias após o término da loteria.

(Com Agências)