Notícias

EUA abandonam negociações para indenizar famílias separadas na fronteira

Notícias
EUA abandonam negociações para indenizar famílias separadas na fronteira

WASHINGTON - O Estados Unidos abandonaram as negociações para indenizar as famílias de migrantes separadas na fronteira com o México pela política de "tolerância zero" do ex-presidente Donald Trump, informaram representantes de ambas as partes nesta quinta-feira, 16.

O governo Joe Biden revelou que nenhum acordo foi alcançado com os advogados das famílias que entraram com ações judiciais sobre essas separações, mas deixou em aberto a possibilidade de fazê-lo no futuro.

"Embora as partes não tenham conseguido chegar a um acordo abrangente neste momento, continuamos comprometidos em nos envolver com os demandantes e fazer justiça às vítimas desta política abominável", declarou o Departamento de Justiça em um comunicado.

Os demandantes, que buscam indenização pelo que consideram dano psicológico, anunciaram que darão continuidade ao processo.

"Voltaremos ao tribunal", disse Lee Gelernt, vice-diretor do Projeto de Direitos dos Imigrantes da União de Liberdades Civis Americanas (ACLU), que abriu um dos processos.

"O trauma infligido a essas crianças e pais das mãos de nosso próprio governo é insondável. Temos que fazer a coisa certa", continuou, lamentando que "o governo Biden permitiu que a política interferisse na ajuda às crianças abusadas deliberadamente" pelas autoridades.

Depois de assumir a presidência em janeiro sob a promessa de uma abordagem mais "humana" à imigração, Biden rescindiu oficialmente a política de "tolerância zero" de Trump na fronteira sul.

Essa diretriz, que o ex-presidente republicano suspendeu em junho de 2018 em meio a fortes críticas, intensificou o processo criminal de pessoas flagradas entrando ilegalmente no país, levando à separação de milhares de menores de seus pais.

No final de outubro, o Wall Street Journal informou que os Departamentos de Justiça e Segurança Interna (DHS) dos Estados Unidos estavam negociando uma indenização com as famílias afetadas que haviam processado o governo, adiantando que os pagamentos podiam chegar a US$ 450 mil.

Biden descartou o valor anunciado em novembro, mas disse que apoia a indenização para famílias de migrantes separadas.

O DHS informou em junho que 3.913 crianças separadas de suas famílias foram identificadas na fronteira EUA-México durante a administração Trump.

Destes, cerca de 1.786 menores foram devolvidos às suas famílias, enquanto os esforços de uma força-tarefa criada por Biden para promover as reunificações continuavam.

As detenções de pessoas sem documentos na fronteira sul dos Estados Unidos atingiram números recordes nos últimos anos, a maioria vinda da América Central e do México.


(Com AFP)

Outras Notícias