Mãe de salvadorenha morta no México pede a Biden que EUA receba suas netas

WASHINGTON/ TULON – A mãe da salvadorenha Victoria Salazar, que morreu depois de uma ação da polícia no México, pediu nesta quarta-feira, 31, que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que lhe “estenda a mão” e dê refúgio às suas duas netas, filhas da vítima.

Rosibel Arriaza, mãe de Victoria, se preparava nesta quarta-feira para viajar para o México para ver o corpo de sua filha assassinada e se reencontrar com suas netas, apesar de uma delas estar desaparecida.

“Vou com a esperança de ver minhas netas, confortando-as, embora tenha a angústia de que uma das meninas esteja desaparecida e espero que ela possa aparecer em breve”, disse Arriaza antes de embarcar para o México.

“Peço ao presidente Biden que me faça um favor e me dê algo, abrigo ou algo para minhas netas, porque tenho esperança de que minha outra neta desaparecida apareça”, insistiu Arriaza que recebeu ajuda do governo de El Salvador para viajar.

“Tenho medo de que algo aconteça às minhas netas no México e não quero trazê-las para El Salvador. Quero pedir ao presidente Biden que me ajude, estenda a mão e dê refúgio a minhas netas nos Estados Unidos”, acrescentou Arriaza.

“Não sei quando vou voltar, nem se vou poder trazer o corpo da minha filha comigo para o país, não sei, tem sido tudo muito difícil”, disse a mãe de Victoria, que pede justiça pelo assassinato de sua filha.

Violência Sexual

Victória morava em Tulum, estado de Quintana Roo, no sul do país, há cinco anos e era mãe de duas meninas de 15 e 16 anos.

Segundo informações das autoridades mexicanas, o companheiro de Victoria foi preso por supostamente abusar da filha mais nova da vítima há poucos dias.

A informação foi confirmada pelo presidente de El Salvador, Nayib Bukele, que indicou no Twitter que Victoria havia denunciado seu parceiro semanas atrás e que chegou a levar a filha abusada a um abrigo para protegê-la de seu agressor.

Crime

A salvadorenha morreu no sábado depois que um agente da polícia da Direção Municipal de Segurança Pública de Tulum ajoelhar em cima das suas costas durante vários minutos. Outros três agentes assistiram a cena sem intervir.

Victoria teria discutido com o gerente de uma mercearia no balneário de Tulum, em Quintana Roo, e não estava armada quando foi detida.

A autópsia concluiu que o pescoço da vítima partiu devido ao ato violento.

As autoridades mexicanas disseram que os quatro polícias – três homens e uma mulher – foram demitidos, detidos e acusados ​​de feminicídio por “uso de força excessiva e desproporcional”.

O diretor de Segurança Pública e Trânsito de Tulum, Nesguer Ignacio Vicencio Méndez, também foi destituído.

“Não haverá impunidade para aqueles que participaram na morte da vítima, e todas as forças da justiça serão chamadas a trazer os responsáveis a julgamento”, afirmou o gabinete do procurador-geral estatal.

 

* Com Agências