Justiça russa prorroga prisão preventiva do motorista Robson até abril de 2021

obson está preso há quase dois anos na Rússia (Foto: Reprodução/Twitter / Estadão Conteúdo)

prisão preventiva de Robson de Oliveira foi prorrogada até abril de 2021 nesta quinta-feira, 22, durante audiência em Moscou. Até lá, o ex-motorista do jogador Fernando completará dois anos preso sem sequer ter passado por um julgamento.

Os advogados de Robson propuseram à Justiça russa o pagamento de 10 milhões de rublos (aproximadamente R$ 730 mil) como fiança para que o motorista aguarde o dia do julgamento em liberdade. No entanto, a oferta foi recusada por ele não moradia fixa, nem emprego na Rússia.

De acordo com a defesa, a quantia oferecida seria paga pela família do jogador e ao final do processo teria a possibilidade de ter o dinheiro devolvido, num tipo de pagamento caução. Haverá ainda uma nova tentativa de convencer a juíza O.V. Pischukova na próxima audiência, marcada para 9 de novembro, de que Robson tem como se manter no país.

“Vamos editar um vídeo mostrando que o Robson tem onde morar lá e informar, também, que a família do jogador (Fernando) se comprometeu a arcar com as despesas de alimentação e moradia do Robson enquanto ele estiver em liberdade, aguardando o julgamento”, disse Olímpio Soares, advogado que representa o motorista no Brasil.

“A juíza não aceitou dessa vez, por entender que ele não teria como se bancar no país, fora da prisão. Mas vamos mostrar para ela que ele terá esse auxílio, conforme prometido pela família”, garantiu. De acordo com ele, a família do atleta iria contribuir com 2 mil dólares por mês, além do pagamento da fiança.

Lembre o caso

Robson foi detido na Rússia, em março de 2019, por posse de um medicamento ilegal no país, o Mydeton, cloridrato de metadona. O motorista e sua esposa, Simone, foram contratados pela família de Fernando para levar o remédio do sogro do jogador. Ele já está preso há um ano e sete meses.

Interferência diplomática

Na próxima segunda-feira (26), o senador Nelsinho Trad (PSD) viajará à Russia para uma agenda que inclui a entrega de uma carta assinada pelo presidente Jair Bolsonaro pedindo o perdão do brasileiro Robson, que está preso desde março de 2019 depois entrar no país com um remédio considerado proibido.

A comitiva brasileira deve ficar na Rússia por uma semana. Robson foi preso depois de entrar com Mytedom – cloridato de metadona – sendo proibido no país. Na época ele alegou que o remédio, que é legalizado no Brasil, era para o sogro de Fernando e estava em bagagem destinada à família do atleta. Robson havia sido contratado para ser motorista da família de Fernando – jogador do Spartak Moscou.

Segundo o Portal UOL, no início do mês, Fernando divulgou nas redes sociais que havia conversado com o presidente Bolsonaro sobre a situação de Robson. “O presidente reforçou que se trata de uma questão diplomática muito complicada, mas que vai tentar ajudar da melhor forma possível”, escreveu. Ele se defendeu das críticas, dizendo que seu lado da história foi distorcido.

* Com Agências

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.