Governo dos EUA mantém intervenção para impedir TikTok de operar no país

WASHINGTON – Os Estados Unidos se recusaram nesta sexta-feira a conceder à TikTok um novo prazo para transferir seu controle para empresas norte-americanas. O aplicativo chinês não poderá mais ser baixado a partir de domingo nos telefones do país norte-americano a menos que um juiz decida intervir neste fim de semana.

Na quinta-feira, um juiz dos EUA deu ao governo 24 horas para adiar o ultimato ou explicar sua posição. Mas o governo Donald Trump não mudou de ideia, segundo documento enviado ao tribunal nesta quinta-feira, e pretende fazer cumprir um decreto presidencial assinado no meio do ano: como o TikTok, do grupo chinês ByteDance, não passou para o controle norte-americano, a empresa não pode mais realizar transações com empresas dos EUA.

Há meses, Trump vem acusando sem provas o aplicativo de vídeos curtos de espionar para a China, coletando dados de seus usuários.

Se não houver uma nova decisão judicial, a partir de domingo às 23h59 (horário local), os usuários atuais nos Estados Unidos poderão continuar usando o aplicativo, mas nenhuma atualização será feita e será impossível fazer novos downloads.

Enquanto isso, uma proibição total das atividades do aplicativo em solo dos EUA pode entrar em vigor em 12 de novembro.

Na semana passada, a rede social havia confirmado um projeto de criação da TikTok Global, uma nova empresa que envolveria as empresas norte-americanas Oracle – na parte tecnológica – e a Walmart -em atividades comerciais nos Estados Unidos.