Carlos Wanzeler é preso no Rio de Janeiro e pode ser extraditado para os EUA

Carlos Wanzeler em imagem de arquivo

BÚZIOS/BOSTON – O fundador da Telexfree, Carlos Wanzeler, foi preso nesta quinta-feira, 20, em Búzios, no Rio de Janeiro, pela Polícia Federal (PF) por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Ricardo Lewandowski atendeu ao pedido de prisão feito pelo governo dos Estados Unidos, onde o empresário é considerado foragido da Justiça sob suspeita de organizar um esquema bilionário de fraude financeira.

Ao ser notificado da detenção, os EUA podem pedir a custódia de Wanzeler que já não está mais protegido pelo Constituição brasileira que proíbe a extradição de um nacional. Ele teve a sua cidadania anulada pela Segunda Turma do STF na terça-feira (18) porque optou  “voluntariamente pela aquisição da nacionalidade estrangeira”.

No Brasil, Wanzeler também responde a mais de 11 mil ações cíveis na Justiça apresentadas por pessoas físicas; 15 processos penais; e uma ação civil pública devido ao episódio da Telexfree.

Empresário nega acusação

O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que o empresário nega as acusações de fraude financeira e afirma que todas as operações ocorreram dentro da legalidade.

“A decisão do Supremo Tribunal de determinar a perda da nacionalidade brasileira do Sr. Wanzeler abre um perigoso precedente. A defesa entende que, mesmo com a perda da nacionalidade, não é cabível a extradição pois o agora cidadão americano responde a processos no Brasil pelos mesmos fatos que fundamentaram a prisão dele nos EUA. Nestes casos, ele tem o direito de responder ao processo no Brasil”, disse o advogado em nota.

*Todos os direitos autorais reservados. Para reproduzir essa matéria é obrigatório citar a fonte e incluir um link para o Manchete USA.