Biden denuncia o ‘racismo sistêmico’ que ‘mancha’ a alma dos EUA

(Foto: Reprodução/ TV)

WASHINGTON – O presidente Joe Biden denunciou nesta terça-feira, 20, o “racismo sistêmico” que “mancha” a alma dos Estados Unidos, após o julgamento em que o ex-policial branco Derek Chauvin foi condenado pela morte de George Floyd.

“O veredicto de culpa não trará George de volta”, disse na Casa Branca em um breve discurso televisionado. Mas pode marcar o momento de uma “mudança significativa”, acrescentou, chamando a nação a se unir.

“Temos que escutar. ‘Não consigo respirar, não consigo respirar’: estas foram as últimas palavras de George Floyd”, lembrou Biden. “Não podemos deixar que morram com ele. Devemos continuar escutando estas palavras. Não devemos nos afastar”.

Além disso, o presidente afirmou: “Alguns agitadores e extremistas que não têm interesse na justiça social, tentarão explorar as emoções cruas”.

“No podemos deixar que tenham êxito”, advertiu.