Biden anuncia medidas para diminuir desigualdade racial nos EUA

Presidente Joe Biden em imagem de arquivo (Foto: Divulgação)

WASHINGTON – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta terça-feira, 26, a cura da divisão racial histórica no país, tomando várias medidas e prometendo outras para confrontar o racismo e a desigualdade.

Biden condenou o ataque do dia 6 de janeiro ao Capitólio feito por apoiadores do ex-presidente Donald Trump que, segundo o democrata, foi conduzido por “bandidos, insurrecionalistas, extremistas políticos e supremacistas brancos”.

O presidente, entretanto, disse acreditar que a grande maioria dos norte-americanos acreditam na igualdade. “Nós nunca honramos completamente os princípios fundadores deste país –para dizer o óbvio– de que todas as pessoas são criadas iguais e têm o direito de serem tratadas igualmente enquanto viverem”, disse Biden em um pronunciamento na Casa Branca.

Nesse sentido, Biden adotou medidas em quatro frentes nesta terça. O democrata proibiu o uso de prisões privadas pelo governo dos EUA, anunciou incentivos e fiscalização contra a discriminação no setor de habitação, reafirmou o comprometimento com a soberania das tribos de comunidades indígenas norte-americanas e condenou a discriminação contra os asiático-americanos e americanos de ascendência das Ilhas do Pacífico.