Ameaça dos EUA de cortar verbas para agência antidoping pode deixar americanos fora dos Jogos Olímpicos

WASHINGTON – Os principais atletas norte-americanos poderão ficar de fora da próxima edição da Olimpíada e de outros grandes eventos esportivos internacionais se os Estados Unidos seguirem adiante com a ameaça de interromper o repasse de verbas para a Agência Mundial Antidoping (Wada), disseram líderes antidoping.

A ameaça dos EUA provocou abalos por toda a comunidade antidoping e levou diversos governos a exigirem que a Wada introduza leis que considerem que os Estados Unidos não estejam cumprindo o código da agência, impedindo efetivamente que atletas norte-americanos participem de competições internacionais.

“As consequências da retirada do financiamento da WADA pelos Estados Unidos podem ser mais severas e abrangentes para os atletas americanas”, disse o presidente da Wada, Witold Banka, à Reuters.

“Nós fomos procurados por vários governos de todo o mundo que ficaram chocados com as ameaças vindas do governo norte-americano apoiadas pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA)

“Esses governos querem que consideremos uma emenda ao acordo de compliance que diga que o não-pagamento da contribuição à WADA por parte de um governo possa levar diretamente a uma declaração de que a Organização Nacional Antidoping daquele país seja declarada não cumpridora do código antidopagem mundial”, disse Banka. “Inevitavelmente isso poderia ter repercussões sérias para atletas daquele país, incluindo na participação de grandes eventos esportivos internacionais”.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados em um ano, para o período entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021, por causa da pandemia do coronavírus.

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.