Solicitantes de asilo enfrentam novos obstáculos para obter permissões de trabalho

WASHINGTON – Nos últimos 20 anos, os requerentes de asilo nos Estados Unidos se beneficiaram amplamente de uma disposição regulamentar na lei de imigração que lhes permitiu receber um EAD (documento de autorização de emprego) dentro de um prazo de 30 dias após a solicitação inicial, independentemente de seu caso já ter sido aprovado ou não.

Ter um EAD, conhecido como permissão de trabalho, facilita para esses imigrantes ganhar a vida legalmente e obter um número de Seguro Social, entre outras vantagens.

Mas “a velocidade com que os Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS) concedem permissões de trabalho às vezes pode ser um incentivo para as pessoas que podem estar tentando fraudar o sistema legal de imigração”, diz o Departamento de Segurança Interna (DHS).

Na sexta-feira passada, o DHS publicou uma regra final no Federal Register modificando o regulamento que rege os prazos pelos quais o USCIS julga a autorização de emprego.

A nova regra, com vigência em 21 de agosto de 2020, remove o cronograma atual de 30 dias a partir da data em que um requerente de asilo registra o Formulário I-765 (Pedido de Autorização de Emprego) para conceder ou negar esse benefício.

O DHS também removeu a disposição que exige que os solicitantes enviem seus pedidos de renovação ao USCIS 90 dias antes da expiração de sua autorização de emprego, de acordo com a regra.

A proposta de eliminar o prazo de processamento de 30 dias para o USCIS julgar os pedidos iniciais de EAD foi anunciada em setembro.

Na época, Brian J. Hoffman, advogado da equipe de Serviços de Migração e Refugiados da Catholic Charities, disse que “a proposta do DHS de se dar mais tempo para julgar pedidos de permissão de trabalho é outro exemplo de como o governo está facilitando as coisas para si mesmo e, ao mesmo tempo, tornando o processo de asilo quase impossível para os membros mais vulneráveis ​​da sociedade”.

Em um comunicado à imprensa anunciando a mudança regulamentar na sexta-feira, o USCIS disse que a remoção do tempo de processamento interno fornece à agência “tempo suficiente para receber, rastrear e processar aplicativos e tratar de questões de segurança e fraude, manter avanços tecnológicos na verificação de identidade e deter ainda mais aqueles que podem tentar fraudar o sistema legal de imigração.

MAIS OBSTÁCULOS

Além disso, o governo Trump está pronto para publicar neste dia 26 uma regra final no Registro Federal que altera algumas das disposições sobre a elegibilidade e o tempo de espera para autorizações de trabalho com base em um pedido de asilo pendente.

De acordo com o USCIS, as novas medidas saem do Memorando Presidencial sobre Medidas Adicionais para Aumentar a Segurança nas Fronteiras e Restaurar a Integridade do Nosso Sistema de Imigração, e visam impedir que os imigrantes “entrem com pedidos de asilo frívolos, fraudulentos ou de outro modo não meritórios para obter um benefício. ”

Esta nova regra é uma das várias mudanças importantes no USCIS que provavelmente afetarão milhões de imigrantes nos EUA este ano.

O regulamento de 328 páginas, programado para entrar em vigor em 25 de agosto, torna mais difícil para os solicitantes de asilo obter autorização de emprego nos EUA devido a estas disposições:

▪ Estende o período de esper de 150 dias para 365 dias corridos antes que um requerente de asilo possa solicitar uma autorização de emprego.

▪ Limita o período de validade da autorização de emprego a um máximo de dois anos.

▪ Nega permissões de trabalho para solicitantes de asilo que não cruzaram a fronteira dos EUA em um porto de entrada autorizado.

▪ Encerra automaticamente a autorização de emprego na data da recusa do pedido de asilo, em vez de encaminhar o caso ao Escritório Executivo do Departamento de Justiça para Revisão da Imigração.

“A regra impedirá muitos refugiados de alimentar, apoiar e abrigar a si mesmos e suas famílias”, disse Eleanor Acer, diretor sênior de proteção a refugiados da Human Rights First. “Os requerentes de asilo e suas famílias já lutam para sobreviver sob os tempos de espera de autorização de trabalho existentes. Mas essa regra tornará a sobrevivência impossível para muitos.”

QUEM É ELEGÍVEL PARA A AUTORIZAÇÃO DE EMPREGO?

De acordo com o USCIS, ter um documento de autorização de emprego (EAD) é uma maneira de os imigrantes poderem provar aos possíveis empregadores que eles podem trabalhar legalmente por um período de tempo.

Algumas das categorias de elegibilidade são:

▪ Refugiados

▪ Refugiado em condicional

▪ Asilado

▪ Retenção concedida de deportação ou remoção

▪ Status Protegido Temporário (TPS)

▪ Treinamento Prático Opcional para Estudantes (OPT)

▪ Emprego fora do campus oferecido pelo aluno

▪ Várias categorias de não imigrantes baseadas no emprego

▪ Cônjuge de um não-imigrante H-1B e de outros não-imigrantes

COMO SOLICITAR PERMISSÃO DE TRABALHO NOS EUA

▪ Para solicitar uma EAD, os estrangeiros devem apresentar o Formulário I-765, Pedido de Autorização de Emprego.

▪ Os candidatos devem preencher todas as seções do formulário, incluindo os motivos da aplicação e informações pessoais.

▪ Envie com o aplicativo a taxa de registro correta: $ 410 para a EAD, além de $ 85 para serviços biométricos, no total de $ 495.

▪ Inclua documentação de suporte para evidência inicial (varia de acordo com a categoria de elegibilidade). Todos os documentos devem ser traduzidos para o inglês e certificados.

 

*Todos os direitos autorais reservados. Para reproduzir essa matéria é obrigatório citar a fonte e incluir um link para o Portal Manchete USA.

Na MANCHETE USA, dezenas de jornalistas trabalham para levar a você as informações apuradas com mais cuidado e para cumprir sua missão de serviço público. Se quiser apoiar nosso jornalismo e ter acesso ilimitado, pode fazê-lo aqui por US$12.99 por um semestre de nossos boletins exclusivos.